Roteiro de 4 dias em Bogotá - o que fazer na capital da Colômbia

Bogotá - Colômbia
Bogotá - Colômbia
Oi Genteee!

Antes de qualquer coisa, deixa eu me apresentar: meu nome é Anne, sou carioca e amo viajar! Tenho um Insta Travel Blog chamado @malaeblush onde compartilho minhas aventuras e dicas sobre viagens. A Laura me convidou para contar aqui para vocês sobre minha viagem para a Colômbia. 😃 Nesse primeiro post vou contar como foram os 4 dias em Bogotá.


O que você precisa saber antes de ir para Colômbia?

Para início de conversa, listei algumas informações importantes para quem está pensando em viajar para a Colômbia:
  • Brasileiros não precisam de visto desde que a viagem seja a turismo por no máximo 90 dias. Também não é necessário ter passaporte. Eles aceitam o RG original como documento oficial de identificação. O mesmo precisa estar conservado e com no máximo 10 anos de expedição;
  • A vacina da febre amarela é obrigatória para brasileiros que viajam p/ a Colômbia desde março de 2017. É necessário ter o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) com a comprovação que tomou a vacina. Para mais informações consulte o site da Anvisa;
  • A moeda na Colômbia é o peso colombiano (COP). A cotação recente é R$1 equivalente a 720 COP. O melhor câmbio é com dólar. Troque no aeroporto ou durante a viagem. (recomendo trocar boa parte no aeroporto);
  • O comprovante de hospedagem não é obrigatório mas eles costumam perguntar sobre o local da hospedagem na imigração. Dica para qualquer viagem: levem todos os comprovantes impressos separados em uma pastinha e um backup no celular;
  • O seguro viagem não é obrigatório mas eu não recomendo deixar de fazer. Ele é importante em todas as viagens, ainda mais em uma viagem internacional. Leitores do Maquiadora Viajante tem desconto para fechar o seguro. Clique aqui para saber mais!
No total foram 14 dias viajando pela Colômbia. Fiz essa viagem com uma amiga e foram dias muito felizes. A Colômbia tem uma alegria que paira no ar!

Como chegamos em Bogotá?

Fomos de Avianca do Rio para Bogotá. Aliás, todos os nossos vôos foram pela Avianca. Uma dica importante: para comprar multitrechos (+ de 1 trecho) para a América do Sul tem que usar o site da Avianca da Colômbia. Se usar o site da Avianca Brasil só é possível comprar ida e volta ou vôos separados. Compramos Rio x Bogotá | Bogotá x Cartagena | Cartagena x San Andres c/ escala em Bogotá e San Andres x Rio c/ escala em Bogotá também. Tudo custou R$1.800 incluindo as taxas. (compramos a passagem c/ 15 dias de antecedência)

Bogotá foi o primeiro destino da colombian trip, por onde ficamos durante 4 dias. O Aeroporto Internacional El Dourado é bem sinalizado e não tivemos nenhuma dificuldade em transitar por lá. Uma curiosidade que eu tinha lido é que eles cobravam pelo uso do papel higiênico. Levei meu rolo na bolsa: sim ou claro? Hahaha Mas tudo não passou de um mito. O papel higiênico é free!

A imigração foi bem tranquila.Tínhamos todos os comprovantes em mãos e entregamos junto com o passaporte para o agente. Ele só questionou quantos dias ficaríamos na cidade e o motivo da viagem. Olharam o passaporte, carimbaram e tchau!

Após a imigração fui logo fazer o câmbio. Já tinha lido que um dos melhores câmbios era no aeroporto e com dólar. Troquei 50% do dinheiro lá e depois me arrependi de não ter trocado tudo. Mas foi tudo certo! São 3 casas de câmbio, uma do lado da outra. Só olhar o melhor câmbio e trocar!

Casa de câmbio no Aeroporto El Dourado - Bogotá
                                                                                        
Já tinha lido que os táxis oficiais ficam em uma fila a direita no aeroporto e que era mais seguro usar esses. Ao sair do aeroporto fui abordada por outros motoristas mas segui em busca da fila. Lá estava ela, cheia de táxis amarelinhos. O trajeto aeroporto x hostel (localizado na Zona T) custou 24 mil COP.

Clima em Bogotá

O clima em Bogotá é frio no geral, com um solzinho que engana turista!rs A temperatura fica variando entre 14 e 19 graus independente da estação do ano, ficando mais friozinho a noite. Li muito das chuvas diárias. Só choveu mesmo em um dia e em outros dois teve uma garoa mais fina. O que mais me incomodou foi o vento.

O que levar na mala para Bogotá?

Na mala, é imprescindível levar um casaco corta vento. Eu levei um desse e um sobretudo impermeável, mas nada muito grosso. Legging, 1 calça jeans e blusas de manga comprida e manga curta.

Encharpes e pashminas fazem toda a diferença: tanto para esquentar quanto para compor o look. Levar um sapato confortável para andar. Minha opção foi um tênis de cano alto. Levei um sapatilha de bico fino para a noite. Como eu ia depois para Cartagena e San Andres, levei a conta certa de roupa de frio e outras peças mais coringas.

Hospedagem em Bogotá

Os lugares mais indicados para se hospedar em Bogotá são a Zona T e o Centro Histórico (região da Candelária). Optei por ficar na Zona T no Los Andes Hostel. Como ainda iria para mais dois destinos, optei por uma hospedagem simples, barata e bem localizada.




O Los Andes Hostel é um alojamento bem simples, mas que atendeu super bem minhas necessidades. Eles têm opções de quartos compartilhados e privativos. Os quartos têm nome de bairros e pontos turísticos de Bogotá. 

Fiquei no quarto privativo (com banheiro) chamado Chapinero. (nome do bairro onde o hostel fica). O quarto tinha TV, uma cômoda e cama de casal. As cobertas eram bem quentinhas e eles oferecem toalhas sem custo adicional.

A localização do hostel é ótima. Está bem no coração da Zona T, perto de restaurantes, shoppings, bares e lojas e alguns pontos turísticos. 

O café da manhã é preparado pela dona do hostel. Tem café, omelete e pães. Em alguns dias teve fruta e suco também. Simples e gostoso. O wifi funcionou bem e limpeza foi super ok. 

Além da chave do quarto, eles deram a chave da porta e portão. Abrir o portão era bem de boa, mas abrir a porta era tenso. Tinha um segredo que era mais jeito do que força. E aí toda vez que eu chegava mais tarde a noite tinha que tocar a campainha e aguardar eles abrirem a porta porque eu não conseguia abrir sozinha. Esse foi o único ponto baixo da hospedagem.

Hall do Los Andes Hostel - Bogotá
Hall do Los Andes Hostel - Bogotá                                                                                      

Roteiro de 4 dias em Bogotá

1º dia em Bogotá
Como fiquei 4 dias, procurei fazer um roteiro priorizando os lugares que queria conhecer. Cheguei em Bogotá pela manhã. Depois de fazer o check in, tomei banho, café da manhã e fui pra rua.

O primeiro destino foi o Cerro de Monserrate. Fui de Transmilênio e desci na estação Las Aguas. De lá peguei um ônibus até a entrada do Cerro mas é possível ir andando.  Preparem-se para a subida

Como se locomover em Bogotá

O sistema de transporte de massa em Bogotá chama-se Transmilênio. Esse serviço é feito por ônibus e o bilhete custa 1.700 COP. Nos horários de pico (de manhã – ida para trabalho e final de tarde – volta do trabalho) ele é cheio. 

Tirando que me perdi algumas vezes no primeiro dia, foi tranquilo. E mais econômico também. Vale lembrar que não tem metrô em Bogotá

A cidade tem uma frota boa de táxias, mas muitos ilegais. Atenção com isso! O app Easy Táxi funciona lá. O Uber também.  

Obs: geralmente a bilheteria do Transmilênio fica fora da estação. Antes de subir a passarela, verifique se embaixo não tem a bilheteria.

Cerro Monserrate

Entrada Cerro de Monserrate - Bogotá
Entrada Cerro de Monserrate - Bogotá
Sobre o Cerro de Monserrate: ele é um dos cerros (morros) mais conhecido de Bogotá. É considerado pela população como um símbolo da capital colombiana e um lugar para reflexão, prática de esportes e encontro com a família. 

Realmente é muito bonito e alto. São 3.152 m de altitude localizado na cordillera oriental. De lá se tem a melhor vista de Bogotá. O tempo não estava bom. Consegui uma boa vista por poucos minutos e logo depois a neblina tomou conta do visual. 

Eles funcionam 365 dias no ano, das 6:30 as 23:30h de segunda a sábado e das 5:30h as 17:30 aos domingos. Os tickets são vendidos até uma hora antes do cerro fechar. 

São três opções para subir: a pé (custa 6 mil COP) mas só os fortes escolhem essa alternativa. Não recomendo pois lá em cima tem muita coisa pra andar; de funicular ou de teleférico (10 mil COP por trajeto – preço atualizado de 2018. Fui em 2017 e paguei 18 mil COP nos dois trajetos).

Atenção aos horário de funcionamento do funicular que é até as 11:45h da manhã. Subi de funicular e desci de teleférico. Bom que conheci os dois trajetos. No tarifário tem preços especiais para crianças, estudantes, idosos e animais de estimação. 

Os nossos amigos de 4 patas são aceitos no Cerro de Monserrate mediante a apresentação da carteira de vacinação. Vi vários cachorros por lá passeando com seus donos! Achei interessante que eles têm um guarda volume para malas. Custa a partir de 7 mil COP. Pra quem tem essa necessidade, vale consultar mais informações no site do ponto turístico.

Fila na bilheteria do Cerro de Monserrate - Bogotá
Fila na bilheteria do Cerro de Monserrate - Bogotá
 A subida de funicular é muito bonita. Passa no meio na flora local e já dá pra sentir um gostinho do visual que está por vir. Achei o local super bem sinalizado.

Entrada para a subida de funicular no Cerro de Monserrate - Bogotá
Entrada para a subida de funicular no Cerro de Monserrate - Bogotá

Vista da subida de funicular no Cerro de Monserrate - Bogotá
Vista da subida de funicular no Cerro de Monserrate - Bogotá

Vista da subida de funicular no Cerro de Monserrate - Bogotá
Vista da subida de funicular no Cerro de Monserrate - Bogotá


Mapa do Cerro de Monserrate - Bogotá
Mapa do Cerro de Monserrate - Bogotá
Sinalização no Cerro de Monserrate - Bogotá
Sinalização no Cerro de Monserrate - Bogotá

Destaque para o Santurário de Monserrate  (que foi construído em 1967), um caminho que representa a via crucis, o poço dos desejos (ou pra eles Pozo de los Desejos), as fontes e os jardins. 

Com o Santuário de Monserrate ao fundo - Cerro de Monserrate - Bogotá
Com o Santuário de Monserrate ao fundo - Cerro de Monserrate - Bogotá

Uma das fontes no Cerro de Monserrate - Bogotá
Uma das fontes no Cerro de Monserrate - Bogotá

Próximo a entrada do restaurante Casa Isidro no Cerro de Monserrate - Bogotá
Próximo a entrada do restaurante Casa Isidro no Cerro de Monserrate - Bogotá

Isso sem contar com o caminho do furnicular x Santuário e do Santuário x teleférico. O lugar é realmente encantador! Bem do lado do Santurário tem uma feirinha com artigos locais. Os preços são caros. Tudo muito turístico!

Lá em cima tem uma lanchonete e dois restaurantes mais chiquezinhos, o Casa Santa Clara e o Casa San Isidro. Li que os preços eram bem salgados mas a vista valia a pena. Não fui em nenhum dos dois. Fiquei na água e na barrinha de cereal que levei até porque queria conhecer outros lugares e precisava de tempo. Falando em tempo, passei umas 4 horas no Cerro. Valeu super a pena cada minuto.

Resolvi descer a pé (pq pra descer todo santo ajuda) e de lá também fui caminhando para a Candelária, bairro descolado e ao mesmo tempo histórico.

Parei para comer e escolhi uma lanchonete bem simples. Comi uma arepa de queijo (massa de farinha de milho que pode ser recheada ou não) , um bolinho de yuca (aipim) com carne e um suco para acompanhar. 

Adoro esse momento de experimentar a culinária local. Pra mim é a melhor forma de conhecer os lugares por onde passo. Depois de comer essa delícias reparei que as arepas são vendidas em todos lugares em Bogotá: restaurantes, lanchonetes, em banquinhas na rua. Bem típico! E é uma delícia! =P

Centro Histórico

Caminhei pelas ruas do Centro Histórico com aquele olhar atento, buscando conhecer um pouco do cotidiano de Bogotá. Passei por algumas avenidas e praças bem turísticas e na frente dos principais museus da cidade (do Ouro, de Botero) e de alguns centros culturais também. Deixei a visita para outro dia, pois já estava tarde e eu e minha amiga estávamos cansadas. 

Voltei para hostel via Transmilênio, fazendo o caminho contrário. Me senti bem segura caminhando na região na Zona T.

Dei uma passada rápida no hostel e saí para comer. 

Fui na Zona G procurar um barzinho para comer algo e beber uma cerveja gelada. Zona G é a zona gourmet localizada dentro da Zona T. O escolhido foi o Bier Market. O que me chamou atenção foi a música. Tinha um dj tocando. Aliás, chamou a minha atenção e da minha amiga. Entramos e tratamos de pedir logo uma cerveja para comemorar o início da viagem! 


Bar Bier Market na Zona T - Bogotá
Bar Bier Market na Zona T - Bogotá
Provamos a Club Colômbia, uma das cervejas mais famosas da Colômbia, batemos papo e comemos um hambúrguer. O atendimento foi ótimo e o melhor, não tinha couvert. O som fazia parte do happy hour do bar. Eles aceitam todos os cartões.
 
Tomando uma Club Colômbia (cerveja tradicional no país) no Bier Market, localizado na Zona T de Bogotá
Tomando uma Club Colômbia (cerveja tradicional no país) no Bier Market, localizado na Zona T de Bogotá
2º dia
O roteiro para o segundo dia em Bogotá era ir ao supermercado cedo, conhecer a Catedral de Sal e jantar a noite no Andres Res DC.

Por que ir ao supermercado?

Pra mim ir ao supermercado em viagens tem duas finalidades: necessidade e turismo. 

Necessidade para comprar água e pequenos lanches para comer durante os passeios. Turismo porque eu amo ir ao supermercado, ainda mais em outro país. Adoro saber o que as pessoas comem, aprender mais da cultura local. 

Na Colômbia em particular foquei na sessão de café. O país é famoso pela produção de café, assim como o Brasil. Vale muito a pena comprar no mercado!

Catedral de Sal e Parque de Sal

A Catedral de Sal e o Parque de Sal (todo complexo no entorno) ficam na cidade de Zaquipará, a 45 km de Bogotá. É considerada como a maior atração turística da Colômbia. Isso quer dizer que não dá pra deixar de ir!

Optei por ir de ônibus. Foi preciso pegar duas conduções: um Transmilênio até o Terminal Norte e lá pegar o micro ônibus (custou 5 mil COP) até Zaquipará.

No caminho para o Transmilênio uma barraquinha me chamou atenção. Todo mundo parava para comprar. Óbvio que fui lá ver o que era. Eles vendiam obleas, que são discos doces que lembram um pouco casquinha de sorvete recheadas. O recheio tradicional é com geléia de amora e coco ralado. Foi paixão à primeira vista, ou melhor, a primeira mordida! haha

Oblea - doce típico vendido nas ruas de Bogotá


Voltando a falar sobre a Catedral, o lugar é realmente diferenciado por sua beleza. Sem contar as várias atrações que estão espalhadas pela mina. Quem acha que vai encontrar só uma catedral de sal está muito enganado.

Por isso, acho que a Catedral de Sal merece um post a parte, contando em detalhes como chegar e tudo sobre esse lugar mágico! Clique aqui para ler esse post!
Catedral de Sal - Zaquipará
Catedral de Sal - Zaquipará

Túnel na mina da Catedral de Sal - Zaquipará
Mirante com uma das capelas ao fundo na Catedral de Sal - Zaquipará
Mirante com uma das capelas ao fundo na Catedral de Sal - Zaquipará
Pelas fotos já deu pra ver o quanto esse lugar é lindo né? Eu e minha amiga ficamos encantadas e muito impactadas com tudo que vimos. Realmente foi um passeio que valeu muito pena e entrou no meu TOP 5 da Colômbia!

A noite, como programado, fui ao restaurante Andres Carnes Des Res, que fica na Zona T de Bogotá.

Restaurante Andres Carnes Des Res


Ao entrar parece que é um restaurante comum. Mas eu garanto, não é. Tudo impressiona no ambiente. Os garçons, o atendimento, a decoração. Aliás, a decoração é um detalhe a parte. É um misto de antiquário com móveis modernos. Só indo pra ver. Isso sem contar nos andares o nos nomes desses ambientes. Tem céu e tem inferno...só escolher!

Ambiente Tierra no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Ambiente Tierra no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá

Ambiente Purgatório no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Ambiente Purgatório no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
As louças são personalizadas, o elevador é decorado, o cardápio parece uma revista. Se tem uma palavra para definir esse restaurante, essa palavra é detalhe. Logo que chegamos eles ofereceram para guardar nossos casacos. A chave do guarda volume era um cordão prateado. Bem diferente dos guarda volumes convencionais. Até o banheiro é decorado de acordo com o clima da casa.


Elevador do ambiente Cielo no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Elevador do ambiente Cielo no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Detalhe da louça no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Detalhe da louça no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Cordão que é a chave do guarda volumes no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Cordão que é a chave do guarda volumes no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Durante o atendimento, a garçonete perguntou de onde éramos e falamos "Brasil". Depois de alguns minutos começou uma pequena apresentação para a nossa mesa. 

Os cantores chegaram abordando a gente, super animados, entregando acessórios para nos caracterizar. E logo começou a cantoria! Muito legal! Confesso que eu estava ansiosa por esse momento, pois tinha lido sobre essa apresentação em blogs.

  
Ambiente Infierno no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Ambiente Infierno no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá

O cardápio é bem variado. Os drinks eram lindos. Fui de Corona com limão e só arrisquei na comida. Como estava in love com as arepas pedi uma recheada com queijo de entrada Depois pedi um prato com um belo corte de carne e batata canoa. 

Os preços não são baratos. Por exemplo, a Corona custou 14 mil COP enquanto em um bar comum ela custaria uns 8 mil COP. Mas digo que vale a pena pela estrutura do restaurante. A gente economiza pra isso, né? E convenhamos que dinheiro gasto com comida é dinheiro bem gasto!

Quando pedimos a conta, mais uma surpresa. Ela veio dentro de uma maletinha, com o detalhado da conta. Pagamos em dinheiro e a Katalina, garçonete que estava nos atendendo, disse para colocarmos o dinheiro na maleta. 

Fizemos isso e uns minutos depois ela trouxe a maleta de volta. Quando a gente acha que acabou, mais uma surpresa. Dentro da maleta tinha um envelope com a NF, uma carta de agradecimento e um saco cheio de doces. Pra coroar a experiência que foi excelente!

Restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Mimo pós pagamento da conta no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá
Mimo pós pagamento da conta no restaurante Andres Carnes Des Res na Zona T - Bogotá


3º dia
Depois de dois dias sem muito descanso, acordei mais tarde e resolvi explorar a região próxima ao hostel. Fui ao Mercado de Las Pulgas de San Alejo. Fica bem próximo a Avenida El Dorado, que é uma das principais da Zona T. O lugar é ótimo para comprar lembrancinhas. Vale a pena pechinchar! Tem muita opção legal e barata!

Depois fui bater perna nas lojas da região. As principais lojas estão ali: Forever 21, Nike, Adidas e muitas outras. Como era final de semana, as ruas estavam cheias, os bares também. Tinha apresentação de dança em uma das esquinas mais movimentadas. Foi ótimo o passeio. 

Voltei no Crepes & Wafles. Lugar aconchegante, com cardápio variado e delicioso. O restaurante é uma rede com franquias espalhadas por várias cidades da Colômbia. Comi um crepe de queijo com presunto e uma limonada de coco, que é super típica na Colômbia. Valeu voltar com mais calma!

Limonada de coco no restaurante Crepe & Wafles
Limonada de coco no restaurante Crepe & Wafles

Museu Fernando Botero

A tarde fui passear no Centro Histórico. Finalmente conheci o Museu Fernando Botero. Além de obras de Botero o museu abriga outras exposições importantes, com obras de artistas internacionais e um jardim lindo. 

O Museu de Botero funciona diariamente das 9 as 19h e a entrada é grátis. 
Ele só não abre as terças-feiras.
Obras de Botero no Museu Fernando Boterio no Centro Histórico - Bogotá
Obras de Botero no Museu Fernando Botero no Centro Histórico - Bogotá
Museu Fernando Botero no Centro Histório - Bogotá
Jardim no Museu Fernando Botero no Centro Histórico - Bogotá

Chorro de Quevedo e Plaza Bolivar

Passei por outros pontos turísticos também como o Chorro de Quevedo (essa praça foi onde os espanhóis montaram o primeiro quartel, que deu origem a cidade de Bogotá anos depois) e Plaza Bolivar (praça onde foi fundada a cidade de Bogotá). 

O lugar é lindo, mas eu fiquei irritada com a quantidade de pombos e excursões. No entorno da praça estão prédios importantes como o Palácio da Justiça, a Catedral Primada de Colômbia, dentre outros.


Catedral Primada de Colômbia no Centro Histórico - Bogotá

A noite visitei um cassino na Zona T. Aliás, a região tem muitos cassinos.

Rock´n Jazz Casino

O escolhido foi o Rock´n Jazz Casino. Logo na entrada o segurança pediu nosso documento e apresentamos o passaporte. 

>>Já sabem: se quiserem visitar cassino, levem o passaporte. 

Os cassinos da região recebem diariamente muitos turistas além dos frequentadores assíduos. A maioria não cobra entrada e alguns oferecem um free drink de cortesia. Apostei 5 mil COP e não ganhei nada. #chateada haha

Entrada do Rock´n Jazz Casino na Zona T - Bogotá
Entrada do Rock´n Jazz Casino na Zona T - Bogotá
Depois fui ao bar Jhonny Cay, que ficava bem perto do cassino. 

Bar Jhonny Cay

Jhonny Cay é uma das ilhas de San Andres. Minha amiga e eu estávamos tristes porque a ilha estava fechada e não iríamos visitar na nossa passagem em SA. O bar era um consolo!rs 

Sábado a noite, a rua estava cheia. E a temperatura estava na casa dos 8 graus. Bem friozinho. Pedi um mojito um petisco com misto de frango e carne. Custo benefício ok. 

Bar Jhonny Cay na Zona T - Bogotá
Bar Jhonny Cay na Zona T - Bogotá

4º dia

Acordamos cedo, arrumamos a mala e já deixamos ela na recepção do hostel e fizemos o check out. Eles nos indicaram um taxista e deixamos marcado para ele nos levar até o aeroporto. O valor foi 25 mil COP.

Tudo organizado e fomos aproveitar o último dia em Bogotá passeando pelos parques da cidade. Os escolhidos foram o Parc El Virrey e o Parc de la 93. Foram 10 minutos caminhando do hostel até o El Virrey

Muita gente praticando esportes, passeando com seus doguinhos e curtindo um sol fajuto. Nesse dia fez 21 graus e coloquei uma blusa de meia manga. Uma volta no parque e um sorvete para celebrar o calor e partimos para o próximo parque.

O Parc de la 93 foi todo reformado e ficou uma graça. Os bancos e as mesas são todos coloridos, o que deixa o lugar ainda mais charmoso. 


Parc de la 93 - Bogotá

No entorno do parque tem vários bares e restaurante legais e foi lá que conhecemos a nossa paixão colombiana: Juan Valdez. (escuto mentalmente o comercial na TV com voz de galã de novela haha)

Juan Valdez é uma marca de café colombiano muito famoso, tanto que virou uma rede de cafeterias. O lugar é um charme. Lembra um pouco o Starbucks, mas tem um toque colombiano. Paramos para tomar um café a apreciar o movimento. Detalhe que o café é delicioso! Obs: eu amo café!

Pegamos um Uber até a Zona T e almoçamos no Vappiano. Esse rede de restaurantes italiano é conhecida mundialmente. Já vi lojas deles em Berlim também. 

Apesar da estrutura ser boa, o wifi ser ótimo e a comida ser bem gostosa, o atendimento deixou a desejar. Eu pedi uma salada c/ uma água com gás e minha amiga uma quiche e um suco e demorou d+++! Quase desistimos! Depois de dar uma reclamada finalmente nossos pedidos saíram.

Voltamos para o hostel e o taxista já estava nos aguardando. Chegamos no aeroporto com bastante antecedência (coisa de quem já perdeu vôo na vida rs). 

E assim acabou a viagem por Bogotá. Espero que tenham gostado das dicas e que possam usá-las ou indicar para amigos!

De Bogotá continuei minha colimbian trip para Cartagena. Logo logo vou contar pra vocês como foram os 4 dias nessa cidade caliente da Colômbia! 

Beijos, Anne

Nenhum comentário